Dia 6 – Encontros e Desencontros.

Hoje foi o dia de ir ao ICP (Institut Catholique de Paris) pra fazer o teste de nivelamento. Eu já havia feito 3 testes online: compreensão escrita, compreensão oral, e gramática.

Cheguei ao Institut, vi uma fila enooorme, e uma placa onde se lia: “testes ICPFL”… Me informei e vi que era ali mesmo que eu tinha que ficar.

Enquanto eu estava na fila ouvi sons familiares… Português, claro! =) Como é bom encontrar gente do Brasil! Ops.. Minha vez!

A professora, muito simpática, trouxe as notas dos meus testes online (2 muito boas e uma intermediária), e começamos a conversar. Sei que tenho um sotaque BIZARRO, mas eu realmente me esforço! E ouvir de uma professora: tu déjà parles très bien le français.” Não tem preço! Eles vão misturar as notas todas e amanhã eu vou saber em que turma realmente estou.

Claro que, ao terminar o teste, a brasileirada se reuniu no “laguinho” (essa é pra galera da ECO) do campus pra conversar e se conhecer… Giuliana, Rafael, Meissa, Marina e Ana Luiza. Todos muito gente boa e na casa dos vinte.

Saímos do ICP pra almoçar juntos e fomos explorando a Rue de Rennes ate chegar ao boulevard Saint Germain. Comemos crepe de “barraquinha” sentados na praça da igreja de Saint-Germain-des-Près. (Essa coisa de sempre ter um cantinho verde pra sentar e relaxar me encanta em Paris!)

Resolvemos entrar na Igreja pra conhecer. É a mais antiga igreja de Paris ainda de pé, e foi fundada no século VI!!!!!! Linda, antiga, e vazia… Maravilhosa! Na capela Saint-Benoit estão os restos mortais de René Descartes… Penso, logo… (Como eu iria me lembrar dessa citação mais tarde!!)

De lá saímos em direção ao Sena pela Rue Bonaparte. Passamos pela pont des arts, e descemos beirando o rio até a Pont Neuf. Fui com os meninos até a Île de la Cité, mas não pude visitar a Notre Dame com eles porque tinha um encontro marcado com um amigo.

As 16h encontrei Fabrice; um francês muito simpático, namorado de um grande amigo. Ele me levou pra passear pelo Marais. Conheci a famosa loja “Merci”, e acabamos sentando pra tomar um suco no bar “L’Etóile Manquant. (Esqueci de mencionar que hoje foi um dia agradavelmente quente!) Ficamos horas conversando… Foi uma delícia!

De lá, continuamos passeando um pouco mais pelo Marais, e de lá pra Bastille, e pros arredores do quartier do Fabrice. Tudo muito lindo, interessante, e Fabrice me contando todas as curiosidades.

Nos despedimos no metrô Ledru-Rolin, e eu segui em direção à estação Biblioteque François Mitherrand pra ir à loja Decathlon e comprar um tênis de corrida. (Sim, eu trouxe as roupas pra correr, o boné, o frequencímetro, e esqueci a ÚNICA coisa sem a qual NÃO dá pra correr! Enfim…)

Ao entrar na loja, já com o iPhone descarregado, me dei conta de que não havia pesquisado meu numero de sapato na Europa. Experimentei alguns modelos, mas fiquei na dúvida e achei melhor deixar pra amanhã. Acabei passando no Monoprix pra comprar “material escolar”. 😉

Ao sair do Monoprix por volta das 20:15h, eu já estava há algum tempo com uma dor de cabeça bem forte, e um pouco enjoada. Então me lembrei que havia comido um crepe as 13h, e só!

Entrei correndo numa filial do Pret-a-Manger, e escolhi uma sanduíche italiano (com prosciutto crudo e queijo) e uma vitamina de frutas vermelhas. Depois de comer o enjôo passou, mas a dor de cabeça ainda estava “bombando”, e eu sem neosa! Tudo o que eu queria era chegar em casa, e em vez de ir andando (como sempre faço) dessa vez preferi o metrô.

Na estação Bercy, faltando duas estações pra minha…

– “Madames et monsieurs, j’ai blá blá blá problème de signalisation dans la station Blé blé et on dois attendre.”

E lá se vão pelo menos 20 min…

Quando o metrô finalmente partiu, eu me dei conta de uma falha trágica: os digicodes do meu novo apê estavam anotados apenas no iPhone que já estava morto há algumas horas…!!! Como fazer?? #comofaz?

Primeira tentativa: Assim que desci na estação Place d’Italie comecei a entrar em todos os restaurantes pelo caminho e perguntar se alguém, por acaso, teria um carregador de iPhone 5. Descobri que NINGUÉM tem iPhone 5 em Paris! #fail1

Segunda tentativa: ligar a cobrar pro Brasil e pedir pra alguém entrar no meu mail pra pegar o telefone do Mon coloc e avisar a ele. #fail2 O Call Center indiano não aceitou nenhum dos meus cartões.

Terceira tentativa: entrei num tabac e pedir um cartão pra fazer chamadas internacionais. Depois que já tinha comprado percebi que ele só faz chamada para fixos!!!!!!!!!!! #fail3

Quarta tentativa: entrei num hostel que tem aqui em frente e perguntei se podia pagar pra usar a internet. O adorável Mounsieur disse que eu podia usar de graça! Ueba!

E dá-lhe mensagem pro Aymeric no facebook, e mail pra tranqüilizar a família que já estava preocupada.

Aymeric viu minha msg e me mandou os digicodes!!!!! #success #missionaccomplished!!!!

Nem acreditei quando entrei no meu quarto… Água, banho, FaceTime, namorar a torre Eiffel, escrever no blog, e cama! Amanhã é dia de começar a estudar!

Bonne nuit et à demain!

20130702-020223.jpg

20130702-020242.jpg

20130702-020252.jpg

20130702-020259.jpg

20130702-020305.jpg

20130702-020315.jpg

20130702-020323.jpg

20130702-020331.jpg

20130702-020431.jpg

Comente!
  • Que máximo o seu diaaaa!! Se eu disser que eu li tudo isso imaginando a sua voz, você acredita? hahaha
    Beijão!!!

  • Ps: nem tão máximo assim. =X

    • Eu entendi o que vc quis dizer, meu amor!! Depois que passa e vira historia fica tudo bem! Não se preocupe! 😉 bjs

  • A Saint Germain-des-Près é linda, né? Muita história! Estou adorando o seu blog! Aproveita a sua temporada aí! E bons estudos! Em breve, espero fazer o mesmo! Vou pegar todas as dicas com vc!
    Bjs!