E dois anos se passaram…

Dois anos de Paris…

Parece que foi anteontem. O que parece que foi ontem foi a primeira vez em que coloquei meus pés aqui, em 2012. Não sei explicar de onde veio a sensação que me invadiu quando fui apresentada à Cidade Luz. Uma vontade inexplicável de ficar, de transformar esse encontro num amor duradouro. De lá pra cá, muuuuita água rolou por debaixo das pontes daqui e das do Rio, a minha cidade natal. Mundos se desfizeram e se refizeram. Endereços foram trocados. Alegrias e tristezas foram acumuladas. Eu dei o grande e temido passo de deixar o ninho e ganhar mundo. É bonito, mas não pensem que é fácil. Aliás, talvez a beleza esteja justamente na dificuldade que advém de uma decisão como essa. Do dia pra noite, você simplesmente está por sua conta. E mudar do Brasil para a Europa, significa realmente mudar um milhão de hábitos e conceitos. A gente cresce. E como.

Quando passei 4 meses aqui em 2013, minha ideia era fazer um blog para contar  minhas aventuras e desventuras no velho continente e, por que não, partilhar dicas e ideias. Acabou que por uma série de razões, não foi pra frente, mas o endereço continuou sendo meu. E há alguns dias, eu recebi ele renovadinho em folha; presente de uma pessoa muito querida. Então, por que não voltar a escrever? A vida passa num abrir e fechar das portas do metrô e, se a gente não se esforçar pra fazer o que se propõe, um milhão de motivos são capazes de postergar nossos sonhos.

“Somos feitos da mesma matéria que nossos sonhos” disse o Bardo, mas o que é um sonho? O que é realizar um sonho? E quando você realiza um sonho? O que resta? Não tenho as respostas para essas perguntas, mas continuo sonhando.

Comente!